Mulher

Conheça Nádia, vencedora do “Desafio do Grafeno”

29 de setembro de 2016 2 Comments

Nádia Ayad

Essa é a Nádia Ayad. Ela está no 5º ano de Eng Materiais do IME (Instituto Militar de Engenharia) e ganhou a competição global “Desafio do Grafeno” patrocinada pela Suécia. O desafio consiste em criar maneiras inovadoras de utilizar grafeno (um dos materiais vindos do carbono, como o diamante) na construção civil.

Parabéns Nádia! Brasil sendo muito bem representado em competições internacionais.

Confira entrevista com a ganhadora!

Saiba mais sobre o desafio da Nádia.

Curso de Extensão Cultural da Mulher no 21º Grupo de Artilharia de Campanha – Niterói/RJ

23 de junho de 2016 0 Comments
Saiba mais

Nota pública sobre o atentado no fórum regional do Butantã [AJUFE]

31 de março de 2016 0 Comments

A Associação dos Juízes Federais do Brasil – AJUFE, em nome das juízas e juízes federais do Brasil, vem a público prestar solidariedade à magistrada Tatiane Moreira Lima pelo violento ataque sofrido na tarde de ontem, no fórum regional do Butantã, em São Paulo.

A magistrada foi agredida no exercício de suas funções, o que expõe duas questões importantes e que não podem ser subestimadas.

Em primeiro lugar, o acontecimento desperta questões atinentes à segurança nas instalações físicas do Poder Judiciário em todo o Brasil, impondo medidas urgentes para garantir a segurança de magistrados, servidores, procuradores, promotores, advogados e o público em geral que frequentam diariamente os fóruns.

Em segundo lugar, o episódio deve ser analisado não apenas sob a perspectiva do ataque ao Poder Judiciário e à magistratura, mas também sob a perspectiva da violência contra a mulher.

O Brasil ontem assistiu a uma cena de agressão em uma Vara especializada em tratar de demandas relacionadas à violência doméstica, tão disseminada em nosso País. As imagens do episódio mostram a tentativa de subjugação física e psíquica de uma mulher, reproduzindo no espaço público um padrão de comportamento de agressores em âmbito doméstico.

Evidencia-se, assim, a relação entre a violência de gênero e o exercício da função pública dedicada a reverter esse quadro.

Além de demonstrar a falta de segurança a que os juízes brasileiros estão submetidos – seja pela ausência de uma política adequada, seja pela falta de preparo logístico –, este fato desnudou o tipo de violência que as mulheres sofrem no País, trazendo a lume o exato modo de agir do abusador doméstico: violência física e psíquica, bem como a intenção de causar danos estéticos.

A Ajufe apoia todas as medidas de proteção à mulher e de combate à violência de gênero e, especificamente no tocante à segurança dos fóruns, providenciará o encaminhamento de expedientes ao CNJ, CJF, TRFs e também à Comissão de participação legislativa da Câmara dos Deputados.

Sete ilustrações demonstram que mulheres não “pedem” para ser estupradas

31 de julho de 2015 0 Comments

por William Douglas Estupro é um assunto muito sério e preocupante que tem sido manchete em diversos meios. Um desses meios é o site Awebic que realizou.

Saiba mais

Feminicídio [Comentários sobre a Lei nº 13.104, de 9 de março de 2015]

18 de março de 2015 0 Comments

por Rogério Greco [Leia Post Original] Introdução Infelizmente, inúmeras infrações penais são praticadas no interior dos lares, no seio das famílias. Desde agressões verbais, ofensivas.

Saiba mais

O Valente não é Violento [Campanha]

16 de março de 2015 0 Comments

Valente3