Série Bancas [Esaf]

17 de novembro de 2015 Artigos, Concursos 0 Comments
por William Douglas

Esaf: detalhe e diversidade

Comemorando a terceira semana da Série Bancas, analisaremos a prova da Escola de Administração Fazendária (Esaf), órgão integrante da estrutura do Ministério da Fazenda que recruta e seleciona, há mais de 20 anos, futuros servidores.

Já ouvi duas expressões que definem as provas da Esaf: a “prova-maratona” e “o deserto antes do meu cargo”. E, para todos os concurseiros (sejam eles iniciantes ou experientes), posso afirmar, como cristão que sou, e também, como corredor, que a dificuldade apenas trará mais sabor à sua conquista. Encare a prova com tranquilidade e confiança.

Diversificada e completa, a Esaf trabalha todas as etapas e tipos de concursos, formulando questões objetivas e discursivas. As provas dessa banca são conhecidas por serem extensas e detalhadas, sem, contudo, perderem a objetividade, exigindo uma leitura aprofundada. Não raro, o próprio enunciado contém a chave para a solução das questões. A Esaf realiza também provas orais.

Falando especificamente sobre as questões…

Objetivas: enunciados precisos e detalhistas com alternativas, usualmente de A a E, elaboradas e extensas – por vezes uma coluna inteira tem só uma questão. A característica mais marcante dessa banca é elaborar questões cuja indicação é a marcação da alternativa incorreta, mais correta ou menos incorreta, o que, em uma leitura menos atenta, pode passar despercebido.

Como a marcação incorreta não é penalizada e uma questão errada não anula uma correta, o candidato tem o direito de “chutar”, apelando para seu bom-senso e sua criatividade.

Uma dica é manter sempre um bom nível de leitura. Nas provas de língua portuguesa, por exemplo, muito do que é exigido de conhecimento gramatical está intimamente relacionado à leitura, e o concurseiro que não lê muito, fatalmente ficará perdido. Ler, na verdade, é fundamental para todos os concursos; saber interpretar bem um texto, também, mas ter uma boa bagagem de leitura é o ponto de partida para as provas da Esaf.

Discursivas: com um enunciado tão preciso e objetivo, a banca passa ao candidato muito da responsabilidade pela própria nota. A indicação das questões é absolutamente marcada pelos pontos que são esperados em cada resposta, que devem ser escritas, em sua maioria, sob a forma de dissertação. Na área do Direito, tem por costume chamar a atenção para conceitos fundamentais e jurisprudências, sempre inovando com questões que abordam temas atuais.

É fundamental respeitar o limite de linhas, pois ultrapassá-lo traz a certeza de ser penalizado; por isso, respeite as regras. Muitos concurseiros comentam sobre não ter tempo para fazer rascunhos e se preocupam em como proceder nesses casos. No Como passar em provas e concursos eu falo sobre este tema, mas a ideia fundamental é: mesmo que você não tenha tempo de fazer um rascunho de toda a sua resposta, pelo menos coloque os pontos principais, exemplos e procure encadear as ideias. Nunca escreva direto!

Oral: Última etapa nos concursos da magistratura e procuradoria, a prova oral da Esaf é uma arguição que tem como base os pontos dispostos no edital, conteúdos dentro das diversas áreas a serem desenvolvidos pelo candidato segundo escolha realizada pela banca (geralmente por sorteio) na hora da prova.

A preparação para a prova oral envolve grande trabalho emocional e técnica de oratória, porque combina a habilidade de falar em público à de se expressar em uma situação de muita pressão e, por vezes, de ansiedade.

Uma dica importante para a prova oral, que também serve para a discursiva, é não divagar ou se alongar muito nas respostas. A fundamentação é essencial, mas quanto mais informações apresentar, maior será o risco de falar algo errado ou que não esteja necessariamente ligado ao conteúdo, e perder pontos.

Agora que você já sabe mais sobre a temida prova da Esaf, mãos à obra! Comece a leitura e revisão de provas antigas e se acostume com o volume de exigência e cobrança. Revise os posicionamentos jurisprudenciais atuais mais relevantes para sua prova.

Comente aqui sobre suas histórias com a Esaf e compartilhe experiências!