Família

8 maneiras de ajudar a Síria

21 de dezembro de 2016 2 Comments

revolucao-rhema
Se você sente que gostaria de ajudar  a Síria, a Brasa Church separou 8 maneiras práticas em que se pode fazer a diferença!

  1. World Vision:  uma Organização Cristã dedicada a trabalhar com crianças, famílias e comunidades para superar a pobreza e a injustiça.
  2. Capacetes Brancos: a organização tem ajudado a resgatar pessoas, tirando vítimas de áreas de bombardeiros, arrecadando dinheiro para próteses e apoiando famílias que perderam integrantes. Mesmo que o grupo receba críticas internacionais de que atuem com uma missão política escondida, no momento o que tem sido feito é salvar vidas.
  3. Médicos Sem Fronteiras: é uma organização internacional, apartidária e que oferece assistência médica em regiões afetadas por diferentes crises e guerras. Na Síria, a organização tem atuado ativamente, fornecendo instalações médicas, equipamentos e suprimentos.
  4. Sociedade Médica Sírio-Americana: a organização tem enviado dezenas de médicos e operações médicas à Síria e aos países que estão recebendo os refugiados da guerra. Desde 2015, três milhões de pessoas já foram atendidas pelos serviços do grupo.
  5. Comitê Internacional de Resgate: o comitê apoia pessoas que fogem de regiões de conflito em todo o mundo, isso inclui os refugiados sírios.
  6. Save the Children: organização que trabalha com crianças deslocadas internamente, refugiadas e famílias afetadas pelo conflito.
  7. ORE!

(mais…)

Supernuvens

15 de novembro de 2016 1 Comment
por William Douglas

Ontem foi tudo o que tive, malgrado todas as promessas a respeito da superlua, fenômeno espetacular e raro cuja última edição foi em 1948. Quem, como eu, perdeu, só terá chance de igual magnitude em 2034.

Uma amiga que também perdeu o espetáculo prometeu que em 2034 a superlua não vai escapar! Então, ao ouvir sua promessa, imediatamente pensei na mãe falecida, que nem em 2034 haverei de ver, salvo se partir antes, mas aí perderei a presença da mulher, filhos e amigos. Resto entre dois mundos, anseio pela partida e receio partir, tendo saudades espalhadas por mais de um mundo. Abraço mais forte o ente querido ao meu alcance, é o que me resta.

Chorar pelo que se perdeu, ou pelo que pode levar mais 17 anos para se ter, e perder o momento presente? Esta é uma loucura bem comum. Espero que você aproveite as coisas que não precisam décadas para voltar a acontecer.

Consola-me ter feito o que fiz: anotei a data, não marquei outro compromisso e esperei ansiosamente, torcendo para que as nuvens sejam levadas pelo vento. É o que se pode cobrar de mim, não? Eu fiz minha parte.

Fiz?

Talvez. Ou pode ser que a culpa seja minha. Eu li que a Região Sudeste teria tempo nublado, eu poderia ter pegado um avião para o Sul ou o Nordeste. Sim, podia dar errado também, mas a chance de dar certo seria maior. E se não quis tanto ver a superlua a ponta de me empenhar tempo e despesas para ir encontrá-la… ok, foi minha escolha.

Às vezes não se tem a lua porque a gente fica sentado torcendo para o vento levar as coisas embora, ou trazer o nosso desejo. Ele raramente faz tais coisas. Temos que soprar nossa vida como a natureza faz com os veleiros, temos que ir atrás dos nossos quereres.

Daí, se você viu a superlua, fique bem feliz, pois muitos quiseram e não viram; e se não viu, que aproveite bem outros fenômenos ao seu redor, pois 2034 resta ainda um tantinho distante. Mas não perca o que está ao seu alcance. E sempre se pergunte: o que mais eu quero na minha vida e que não vai bastar ficar sentado esperando?

Pegue seu avião para onde for preciso, sopre suas velas sem esperar que o mundo entregue tudo facilmente. Ele não entrega nada, senão o sopro da vida.

Vá buscar suas luas.

6 sinais que você está sendo traído e não quer ver [Recomendação]

21 de julho de 2016 4 Comments

Queridos,

Indico artigo escrito por um casal de amigos, com o tema traição e fidelidade no relacionamento amoroso. Espero que goste. Se ler, peço a gentileza de compartilhar e enviar seus comentários, ok?

O portal família.com.br é um dos maiores do mundo.

traição

Segredos de Fé e de Sucesso, entrevista com Reinaldo Morais

11 de julho de 2016 3 Comments
por William Douglas

WD_RMAutor de Segredos de Pai para Filho, o empresário Reinaldo Morais, tem experimentado, no mercado editorial, o mesmo sucesso que já conquistou no agronegócio nacional, do qual é um dos principais empreendedores. A obra, que é seu primeiro livro e foi lançada há cerca de um mês, alcançou o topo da lista do portal especializado PublishNews e no ranking dos mais vendidos da Revista Veja. Nesta entrevista, o presidente do Conselho Editorial da Editora Impetus, William Douglas, conversa com Reinaldo sobre o sucesso do livro e as motivações que o levaram a escrever Segredos de Pai para Filho. Confira.

WILLIAM DOUGLAS – Conhecemo-nos em um evento, no qual pude ouvi-lo contando um pouco de sua história de vida e trajetória profissional. Fiquei tão impressionado com seu relato que resolvi convidá-lo a escrever um livro pela Editora Impetus, e assim nasceu Segredos de Pai para Filho. Quais são, afinal de contas, os segredos mais importantes que devemos aprender?

REINALDO MORAIS – Em primeiro lugar, acredito que devemos procurar estar no lugar certo, na hora certa, fazendo a coisa certa. Tenho pautado minha vida pessoal e minha carreira como empresário por alguns princípios que conto no livro. Um deles é que, quanto mais qualificação você puder adquirir, e mais disposto ao trabalho estiver, mais sucesso terá em suas realizações. É preciso trabalhar duro, seja qual for nossa ocupação. Se fizermos tudo com excelência e estivermos sempre de olhos abertos para as oportunidades e circunstâncias ao nosso redor, mais chances teremos de sucesso. Em minha vida, fiz de tudo: entre outras coisas, limpei estrume, fui vendedor ambulante, fiz serviços domésticos e atuei como vendedor. Em todas essas atividades, sempre procurei ser o melhor, adotando soluções inovadoras e métodos para aumentar sempre a produtividade. Nunca desprezei qualquer oportunidade. Hoje, sei que estou na posição que ocupo graças ao duro aprendizado de tempos passados. (mais…)

Que confusão!

18 de junho de 2016 3 Comments