Atitude

Jeito e Sorte

7 de setembro de 2016 3 Comments

Leandro Karnal - Jeito e Sorte - Pés

Para você que ainda não passou…

18 de agosto de 2016 80 Comments
por William Douglas
reprovado em diversos concursos antes de ser aprovado

 

PASSOU OU NÃO PASSOU?

Esta era a pergunta que eu mais fugia antes de tomar posse no primeiro cargo. Eu me desviava das pessoas na rua, até em prédio eu já entrei só para não ter que responder o doloroso “ainda não”. Pior ainda era responder para as pessoas das quais não dá para fugir: pai, mãe, tia…  Como explicar a reprovação para quem bancava meu curso e meus livros? Até me olhar no espelho era complicado, pois parecia que alguém dentro de mim ficava ralhando comigo. Frustração, vergonha, até uma quase depressão. Doía também imaginar ter que recomeçar tudo de novo, nas mesmas salas… Quando era por poucos pontos, o certo seria ficar feliz pelo progresso, mas o “quase” me matava. Ficava feliz por quem passava, mas também sofrendo por me sentir ficando para trás enquanto o mundo andava. Bem, era assim comigo. E com você? (mais…)

Brasil Econômico – 20.07.2016 – Seja líder! 10 características que você deve desenvolver

20 de julho de 2016 0 Comments

Brasil Economico - Seja Lider[Leia Matéria Completa]

Uma Carta Aberta ao Brasil

15 de fevereiro de 2016 10 Comments

por Mark Manson [Ver Post Original] Querido Brasil, O Carnaval acabou. O “ano novo” finalmente vai começar e eu estou te deixando para voltar para o.

Saiba mais

Mensagem de Natal [Fundação Benfica]

29 de dezembro de 2015 2 Comments

Webinário Resultados de Sucesso [CONADE] – Online

26 de maio de 2015 0 Comments

    Informações e Inscrição

Saiba mais

Pequenas Corrupções: Diga Não [CGU]

14 de abril de 2015 0 Comments

Pequenas Corrupcoes - CGU

Já falei sobre ela antes, mas é sempre bom reforçar. A campanha Pequenas Corrupções: Diga Não, encabeçada pela Controladoria-Geral da União, é algo que merece ser compartilhado e colocada em prática.

Muito se fala sobre o combate à corrupção no governo, grandes empreendimentos etc., e pouco se fala no combate à corrupção do dia-a-dia, que – enraizada – acaba rendendo esses frutos escandalosos que tanto queremos extinguir.

Participe da campanha e diga não, mais uma vez, às pequenas corrupções e ajude a fazer deste um #BrasilDiferente.


Acompanhe também nos canais oficiais:

 

 

 

Acuidade

12 de fevereiro de 2015 1 Comment

01 - Acuidade

Águia ou Galinha: que tipo de concurseiro você é?

18 de janeiro de 2015 10 Comments

por William Douglas Dois grandes teólogos escreveram livros com o tema a águia e a galinha, cada qual com lições distintas e muito interessantes: Frei.

Saiba mais

Derrota x Bíblia

10 de julho de 2014 0 Comments
David Luis de Joelhospor William Douglas

 

Aos que seguem a Bíblia, vale lembrar: louvamos a Ele quando vencemos, louvamos a Ele quando perdemos.

Nossa adoração e nossa relação com Deus não deve depender das circunstâncias (Filipenses 4.11-15).

Sobre momentos como estes, vale lembrar o que disse Jó: “Receberíamos o bem, e não o mal?”.

Hebreus 12.11 nos ensina que toda disciplina (e a derrota é uma de suas formas) é dolorosa quando acontece, traz tristeza, mas depois produz fruto e amadurecimento nos que nela são exercitados.

2 Coríntios 4.8,9 diz que podemos ficar “atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desesperados; perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos”.

Tiago 2,4 diz :Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações” . A lição é que se houver fé, teremos a perseverança; e a perseverança produz crescimento. Nesse sentido, também Paulo, que em Romanos 5:3b diz que “A tribulação produz perseverança.”

Enfim, Deus é soberano e temos que nos sujeitar a Sua vontade e a aplicação das leis que Ele criou, entre as quais a da semeadura. Às vezes a derrota é o momento onde revemos os processos que adotamos e as sementes que lançamos, para que o futuro esteja mais parecido com nossos sonhos.

Então, em resumo, duas coisas:

  1. Louvor, sempre, como diz Habacuque: “Mesmo não florescendo a figueira, não havendo uvas nas videiras; mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação.” (Hb 3.17-18)
  2. Entremos em campo – no futebol e na vida – para jogar bonito, para fazer nosso melhor.

Termino com uma ótima notícia: no futebol como na vida, amanhã tem outro jogo.

A regra de ouro dos relacionamentos

24 de junho de 2014 2 Comments
Post 15por John Maxwell

 

Qual é o segredo dos relacionamentos interpessoais? É se colocar no lugar da outra pessoa, em vez de colocar as pessoas no lugar que achamos que devem ficar — ou seja, enquadrá-las.

Cristo ensinou uma regra irretocável para quem quer estabelecer relacionamentos humanos de qualidade. Nós a chamamos “regra de ouro”, expressão que surgiu mais ou menos no século 17. Quase no fim do Sermão da Montanha, Jesus resumiu uma série de reflexões profundas sobre o comportamento humano numa frase: “Assim, em tudo, façam aos outros o que vocês querem que eles lhes façam” (Mt 7:12). Nesse breve mandamento, Cristo ensinou dois pontos sobre a evolução dos relacionamentos humanos: devemos decidir como queremos ser tratados; em seguida, precisamos começar a tratar os outros da mesma maneira.

Há pouco tempo, levei minha filha Elizabeth para almoçar num restaurante. A garçonete, uma senhora cujo trabalho seria cuidar bem das pessoas, nos fez sentir como se a estivéssemos incomodando. Era mal-humorada, nada solícita e ranheta. Todos os clientes perceberam que o dia dela não estava sendo bom. Elizabeth olhou para mim e disse: “Papai, ela é bem rabugenta, não é?”. Limitei-me a concordar, contrariado.

A certa altura, tentei mudar aquela atitude tão negativa da garçonete. Puxei uma nota de dez dólares e disse: “Você poderia me fazer um favor? Teria como trocar essa nota de dez dólares? É que gostaria de lhe dar uma boa gorjeta hoje”. A mulher olhou para mim, hesitou por alguns instantes e, logo depois, correu até o caixa. Depois de trocar o dinheiro, ela passou os quinze minutos seguintes em volta de mim e de Elizabeth. Agradeci a ela pelo serviço, disse que havia sido solícita e atenciosa e deixei uma boa gorjeta.

Quando fomos embora, Elizabeth perguntou: “Papai, reparou como aquela mulher mudou o jeito de nos tratar?”. Aproveitando aquela oportunidade de ouro, respondi: “Elizabeth, se quer que as pessoas tratem você corretamente, faça o mesmo com elas. Em muitos casos, sua atitude mudará a delas”. Elizabeth nunca esquecerá aquela lição porque viu uma mudança notável acontecer diante de seus olhos. Aquela senhora mal-humorada não fizera por merecer um tratamento gentil. No entanto, quando foi tratada de maneira diferente — ou seja, da mesma forma que eu gostaria de ser tratado e acreditava que ela seria capaz de fazer —, sua perspectiva mudou de repente.

Seja qual for sua condição num relacionamento, se percebeu que há uma questão a ser resolvida, então a responsabilidade de fazer um esforço concentrado para gerar mudança positiva está em suas mãos. Pare de acusar os outros e tentar se justificar. Tente ser fonte de inspiração e exemplo, mostrando a atitude mais apropriada para a ocasião. Tome a decisão de não ser a pessoa que apenas reage, mas a que toma a iniciativa.


Fonte: A arte de influenciar pessoas

Enviado por: Blog Editora Mundo Cristão

A aplicação do pensamento positivo, da lei da atração e da ajuda divina para ser aprovado em concursos

25 de maio de 2011 9 Comments

por William Douglas   Ainda nos tempos do Orkut recebi um e-mail que me motivou a abordar os assuntos que deram título a este artigo..

Saiba mais