Amor

O abraço

15 de janeiro de 2017 3 Comments
por William Douglas

Abraço meu filho, aperto-o não contra, mas a favor do meu corpo, sinto sua estrutura, sua carne, mexo nos seus cabelos e sinto seu cheiro. Invadem-me um amor e uma alegria imensos e me assalta um temor também. Em breve, será bruma. O menino sumirá num átimo e em seu lugar haverá um homem.

O abraço no filho é o meio da noite, que a cada minuto vai virando dia; é o ninho abraçando um ovo cada dia menos ovo e mais pássaro, surpreendendo sempre antes do tempo, se rompendo uns tantinhos quase invisíveis a cada dia.

Cada palavra pronunciada corretamente enseja uma comemoração, mas também um passamento: é o ovo se rompendo em câmera lenta, é o dia anunciando sua inexorável marcha. (mais…)

Supernuvens

15 de novembro de 2016 1 Comment
por William Douglas

Ontem foi tudo o que tive, malgrado todas as promessas a respeito da superlua, fenômeno espetacular e raro cuja última edição foi em 1948. Quem, como eu, perdeu, só terá chance de igual magnitude em 2034.

Uma amiga que também perdeu o espetáculo prometeu que em 2034 a superlua não vai escapar! Então, ao ouvir sua promessa, imediatamente pensei na mãe falecida, que nem em 2034 haverei de ver, salvo se partir antes, mas aí perderei a presença da mulher, filhos e amigos. Resto entre dois mundos, anseio pela partida e receio partir, tendo saudades espalhadas por mais de um mundo. Abraço mais forte o ente querido ao meu alcance, é o que me resta.

Chorar pelo que se perdeu, ou pelo que pode levar mais 17 anos para se ter, e perder o momento presente? Esta é uma loucura bem comum. Espero que você aproveite as coisas que não precisam décadas para voltar a acontecer.

Consola-me ter feito o que fiz: anotei a data, não marquei outro compromisso e esperei ansiosamente, torcendo para que as nuvens sejam levadas pelo vento. É o que se pode cobrar de mim, não? Eu fiz minha parte.

Fiz?

Talvez. Ou pode ser que a culpa seja minha. Eu li que a Região Sudeste teria tempo nublado, eu poderia ter pegado um avião para o Sul ou o Nordeste. Sim, podia dar errado também, mas a chance de dar certo seria maior. E se não quis tanto ver a superlua a ponta de me empenhar tempo e despesas para ir encontrá-la… ok, foi minha escolha.

Às vezes não se tem a lua porque a gente fica sentado torcendo para o vento levar as coisas embora, ou trazer o nosso desejo. Ele raramente faz tais coisas. Temos que soprar nossa vida como a natureza faz com os veleiros, temos que ir atrás dos nossos quereres.

Daí, se você viu a superlua, fique bem feliz, pois muitos quiseram e não viram; e se não viu, que aproveite bem outros fenômenos ao seu redor, pois 2034 resta ainda um tantinho distante. Mas não perca o que está ao seu alcance. E sempre se pergunte: o que mais eu quero na minha vida e que não vai bastar ficar sentado esperando?

Pegue seu avião para onde for preciso, sopre suas velas sem esperar que o mundo entregue tudo facilmente. Ele não entrega nada, senão o sopro da vida.

Vá buscar suas luas.

AACD

28 de outubro de 2016 0 Comments

Conheça mais sobre o trabalho da AACD.

Em breve numa livraria perto de você

27 de fevereiro de 2016 0 Comments

ÚltimaCartadoTenente_Lançamento

Congresso de Casais – MG

21 de novembro de 2015 0 Comments
Saiba mais

Aula de Intolerância

19 de outubro de 2015 1 Comment

Mauro IasiEis o que o comunismo quer oferecer ao Brasil.

Ao invés de união, reconciliação e paz, a proposta é ódio, paredão e fuzilamento.

Lamentável que um professor universitário proponha (vídeo abaixo) o ódio e não o diálogo e a construção daquilo que a Constituição diz (veja arts 1º. a 4º., CF).

Não sou comunista, mas aos comunistas ofereço minha amizade, boa fé e disposição para acharmos caminhos comuns e para o bem coletivo. Não ofereço ódio, nem fuzilamento.

Se você é comunista, e sei que há pessoas de bem que são comunistas, sugiro que reflita se é com esse ódio que vamos melhorar o mundo.

Eu aposto no amor, que foi a arma de Gandhi, Luther King Jr, Mandela, Desmond Tutu e Jesus.

Olhe bem as teses que você elege. O discurso de ódio só traz ódio… e gentileza gera gentileza.

Recomendação de Leitura – Meu Filho do Coração

30 de setembro de 2015 0 Comments

Filho do Coração

A adoção é um tema muito importante que, infelizmente, ainda é pouco debatido especialmente com as crianças.

Meu filho do coração é uma obra que deve ser lida junto com a criança para que se possa falar, além do amor, da importância e do lugar que ela ocupa como um desejado membro da família.

Adoção

Conexão 15 – Igreja Presbiteriana Betânia – RJ

13 de agosto de 2015 0 Comments
Saiba mais

Conexão 15 – Igreja Presbiteriana Betânia – RJ

5 de agosto de 2015 0 Comments

    13.08.2015 Amor e a Vida Corporativa [Confira Detalhes do Evento]

Saiba mais

O amor serve para quê?

18 de maio de 2015 4 Comments

por William Douglas Amor, Flor Estranha   O amor é uma flor estranha, que às vezes nasce nos lugares mais inóspitos, outras, resiste às maiores.

Saiba mais

10 Coisas que sua Mãe Nunca te Contou

10 de maio de 2015 1 Comment

por Natasha Craig [Leia o Texto Original, em Inglês]   É chegado, emfim, o dia das mães!  Como uma forma de homenagear essas mulheres sensacionais, compartilho.

Saiba mais

Às vezes você pega um livro…

6 de maio de 2015 1 Comment

Livro 16

Mas feliz mesmo era Jorge… que era Amado

9 de fevereiro de 2015 6 Comments

Amado

 

Em meu último informativo* lancei cinco perguntas. Compartilho duas delas neste post para que você possa responder nos comentários!

O que é preciso fazer para ser amado?

 

O que considera mais importante, amar ou ser amado?


* Para receber o informativo, cadastre-se gratuitamente no site!

“Nossa sociedade luta para evitar a possibilidade de ofender alguém – exceto Deus” [Billy Graham]

30 de janeiro de 2015 1 Comment

Billy Graham

31.XII.86

7 de janeiro de 2015 1 Comment

por William Douglas Não te amarei com a lógica dos computadores,     Nem com a eloquência dos ditadores. Não posso amar-te com a renúncia das freiras,.

Saiba mais

Nas alturas

11 de agosto de 2014 0 Comments
por William Douglas

Amor, 

Voltando de viagem a trabalho, 

Vim a jato para te ver. (mais…)

Derrota x Bíblia

10 de julho de 2014 0 Comments
David Luis de Joelhospor William Douglas

 

Aos que seguem a Bíblia, vale lembrar: louvamos a Ele quando vencemos, louvamos a Ele quando perdemos.

Nossa adoração e nossa relação com Deus não deve depender das circunstâncias (Filipenses 4.11-15).

Sobre momentos como estes, vale lembrar o que disse Jó: “Receberíamos o bem, e não o mal?”.

Hebreus 12.11 nos ensina que toda disciplina (e a derrota é uma de suas formas) é dolorosa quando acontece, traz tristeza, mas depois produz fruto e amadurecimento nos que nela são exercitados.

2 Coríntios 4.8,9 diz que podemos ficar “atribulados, mas não angustiados; perplexos, mas não desesperados; perseguidos, mas não desamparados; abatidos, mas não destruídos”.

Tiago 2,4 diz :Meus irmãos, tende por motivo de grande gozo o passardes por várias provações” . A lição é que se houver fé, teremos a perseverança; e a perseverança produz crescimento. Nesse sentido, também Paulo, que em Romanos 5:3b diz que “A tribulação produz perseverança.”

Enfim, Deus é soberano e temos que nos sujeitar a Sua vontade e a aplicação das leis que Ele criou, entre as quais a da semeadura. Às vezes a derrota é o momento onde revemos os processos que adotamos e as sementes que lançamos, para que o futuro esteja mais parecido com nossos sonhos.

Então, em resumo, duas coisas:

  1. Louvor, sempre, como diz Habacuque: “Mesmo não florescendo a figueira, não havendo uvas nas videiras; mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nem ovelhas no curral nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no Senhor e me alegrarei no Deus da minha salvação.” (Hb 3.17-18)
  2. Entremos em campo – no futebol e na vida – para jogar bonito, para fazer nosso melhor.

Termino com uma ótima notícia: no futebol como na vida, amanhã tem outro jogo.

Mutilações

11 de fevereiro de 2009 0 Comments

por William Douglas Cada vez que te via era um pequeno corte, uma dorzinha; e uma outra dor boa cada vez que te ouvia a.

Saiba mais

Agradecimentos

8 de janeiro de 2008 0 Comments

por William Douglas Agradeço àquelas que amei e que me rejeitaram, pois fizeram-me compreender a face dolorosa da paixão, e agradeço às que me amaram,.

Saiba mais

A Vida Passa Rápido Demais . 1

7 de janeiro de 2008 0 Comments

por William Douglas Faze-me ficar quieto, bem quieto. Apenas senta-te ao meu lado, E deixa a vida passar, Porque ela passa rápido demais, Porque ela.

Saiba mais

A Solidão do Poeta

7 de janeiro de 2008 0 Comments

por William Douglas Ninguém pode entender a poesia,     Por mais bela ou mais cristalina que seja,     Só o poeta pode entender a poesia. Ninguém pode.

Saiba mais

(Ainda) uma (outra) nota do autor

7 de janeiro de 2008 0 Comments

por William Douglas Eu mesmo não gosto de ler todos os poemas de amor um após do outro, nem os poemas sobre qualquer tema agrupados..

Saiba mais