STF apura fraude envolvendo juízes do Rio de Janeiro

19 de maio de 2009 Artigos, Notícias 0 Comments
por Jornal O Globo

Seis juízes fluminenses têm prazo de 30 dias, concedido pelo ministro Eros Grau, para defesa em ação instaurada no Supremo Tribunal Federal (STF) sobre supostas fraudes no concurso que os aprovou em 2006. Ricardo Aziz Creton, membro da banca examinadora, denunciou quebra de sigilo nas questões que ele elaborou. “Com base em perícia do Instituto Nacional de Criminalística, o MP acusa os juízes aprovados de identificar as suas provas para que os examinadores os favorecessem na fase de correção. Para os promotores responsáveis pela denúncia, a decisão de Eros Grau, no sentido de citar os réus, significa na prática a aceitação do pedido inicial. Ao todo, 2.083 candidatos fizeram as provas, dos quais 33 eram parentes de juízes. Ao fim do concurso, dos 24 aprovados, sete eram familiares. Segundo a denúncia, a probabilidade de isso acontecer é de seis vezes a cada cem milhões de concursos. Outro indício de fraude foi o fato de que, na prova de Direito Tributário, as respostas de sete candidatos eram muito semelhantes ao gabarito elaborado pelos membros da banca examinadora. Esse gabarito estava de posse do então presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Sérgio Cavalieri. O Ministério Público sustenta que alguns candidatos usaram marcas feitas com corretivo para identificar suas provas diante dos integrantes da banca. Nos casos, o uso de corretivo era dispensável, já que estava num espaço em branco da prova.”


Fonte: O Globo – Chico Otavio e Carolina Brígido – RIO e BRASÍLIA