Chutes, músicas e outras mágicas

23 de maio de 2017 0 Comments
por William Douglas

Isaac Asimov, um mestre da ficção científica, dizia que a tecnologia, para quem a desconhece, parece mágica. Não é à toa que aqueles que detinham o domínio do fogo foram considerados deuses pelos povos dos locais aonde chegavam e que ainda não dominavam a técnica. A técnica parece mágica. O problema é que a academia não gosta de mágica, achando-a arte menor, talvez mera distração circense. E a academia, todos sabemos, embora devesse ser o lugar da inovação, várias vezes foi o palco no qual os inovadores sofreram as mais duras e ácidas críticas. Os exemplos são inúmeros. Por fim, é comum que aqueles que dominam um paradigma não se sintam confortáveis com outros. Um bom exemplo de tudo o que estou falando é o fato de que foram os suíços que inventaram o relógio digital. Contudo, acostumados com sua perfeição em relógios mecânicos, sequer retiveram para si a patente daquela inovação estranha, esquisita, diferente. Os norte-americanos e japoneses é que valorizaram a inovação, e o desprezo pela inovação tecnológica custou extremamente caro aos suíços. Hoje, felizmente, convivem bem os relógios digitais e analógicos, a quartzo e mecânicos, pois o mundo é grande o suficiente, tendo espaço para todos. (mais…)

Depressão – Como Entrar e Como Sair

22 de maio de 2017 0 Comments

Meu professor de geografia

13 de maio de 2017 0 Comments
por William Douglas

Eu, lá pela 8ª série de ensino fundamental, era o melhor aluno de Geografia, com as melhores notas e, por isso, o predileto do professor. Naquela época, imaturo, ainda julgava ter as melhores notas e o topo do pódio, e, logo, o lugar de destaque, como algo que valia mais do que realmente vale. Vale, claro, mas não tanto quanto as pessoas pensam. Eu costumava tirar nota máxima em todas as provas e uma das estratégias de estudo que utilizava era, sozinho, em casa, fazer um questionário o mais extenso possí­vel. Munido do livro e do caderno, imaginava toda e qualquer pergunta que o professor pudesse elaborar. A técnica era eficiente: em geral eu já tinha formulado e respondido a pergunta que apareceria na prova, e por fazer isso já estava com ela assimilada e memorizada, e ainda era rápido para responder. A prova não era novidade e meu desempenho era tão bom que parecia que tinha tido acesso prévio a ela. Na verdade, eu tinha. Não era mágica, como pensavam meus colegas, ou genialidade, como pensava meu professor. (mais…)

Marcelo Rosenthal – Cursos, Questões e Apostilas de Língua Portuguesa

11 de maio de 2017 0 Comments

Patos Agora – 10.05.2017 – Curso de Direito promove X Fórum Jurídico

10 de maio de 2017 0 Comments

[Leia na Íntegra]

GranCursos – 10.05.2017 – Dez conselhos úteis para se fazer uma prova

10 de maio de 2017 0 Comments

[Leia na íntegra]

Lenio x Lenio: Uma resposta às reiteradas indelicadezas do Dr. Streck

8 de maio de 2017 11 Comments
por William Douglas
[Acesse a versão em PDF]

Este material possui 2 partes:

  1. Carta ao meu aluno Pedro Ernesto (versão curta)
  2. Carta aberta ao meu amigo Lenio (versão curta)

Aos que se interessarem, informo que tão logo tenha tempo postarei as versões longas. (mais…)