O segredo e os dez mandamentos para passar em concursos

por William Douglas

Fui reprovado seis vezes. Sentia vergonha, desânimo, tentava me esconder dos olhares e perguntas de todos, tinha medo de estudar, estudar e nunca passar. Como eu me explicaria diante de todos? A cada reprovação, contudo, procurava ver onde errava e como melhorar para a próxima batalha. Aprendi que uma reprovação pode ser parte do processo de aprovação, se administrada com inteligência. Não a inteligência do QI, mas a da adaptação em busca do que se quer.

Fui aprovado, depois, sete vezes, cinco delas em primeiro lugar. Em um passe de mágica o “patinho feio” se transformou no “cara”. Legal, mas mais legal ainda foi ter meu emprego estável, com status, plano de saúde, horários definidos, fins de semana e feriados. Então, começou uma romaria: todos me perguntavam “qual o segredo” para passar. Todos queriam dicas, macetes, o “caminho das pedras”. Sou cristão e procuro seguir a Bíblia; ela diz que aquele que sabe fazer o bem e não faz comete pecado (Tiago 4:17). Se eu sabia alguma coisa sobre como passar, era meu dever como cristão ajudar o próximo. Daí, a primeira coisa que precisava contar era que não existe segredo! A palavra segredo dá a ideia de fórmula milagrosa, mágica, recursos especiais a que apenas alguns têm acesso mediante sorte, dinheiro, amizade ou influência.

Como estudar para vencer não tem segredos. O que existe e funciona é um conjunto de atitudes e técnicas somadas ao esforço pessoal. É sobre isso que este livro discorre. É preciso desenvolver uma visão sistemática e abrangente das técnicas e otimização do estudo e do desempenho, o que facilita em muito alcançar o sucesso. Então, escrevi o primeiro livro sobre o assunto: Como passar em provas e  concursos. O livro virou best-seller, já vendeu mais de 200.000  exemplares. Fiquei famoso, fui ao Jô Soares, Fantástico, jornais, revistas… falei para mais de dois milhões de pessoas em palestras e virei o “guru dos concursos”. E continuam me perguntando qual o segredo…

Outra coisa que perguntavam era se eu poderia resumir o livro. Passei anos me recusando (de 1998 a 2006), dizendo que era preciso olhar todas as técnicas. Curvei-me, contudo, aos pedidos: fiz o Como Passar em Provas e Concursos – Resumo, que já vendeu mais de 100.000 exemplares. Gostaram do resumo. É útil, vale a pena, mas continuo achando que não tem segredo e que o resumo (de qualquer matéria, seja ela Direito Constitucional ou Técnicas de Estudo) serve sim, mas para começar o estudo e para revisar, mas que é necessário estudar nos “livros grossos”. A gente se acostuma com eles, acredite.

Outra coisa que sempre me pediam era para ensinar a vencer a “guerra dos concursos”. Na minha opinião, o concurso não é uma guerra, mas uma escolha. Você não compete com os outros, mas consigo… mas, mesmo assim, escrevi um livro sobre a arte da guerra para concursos, respeitando a visão de quem quer aprender a guerrear por sua vaga. Em 1999, já tinha sucesso profissional mas estava obeso, hipertenso e infeliz. Tive que ter firmeza e me adaptar de novo. Resolvi correr a Maratona de Nova York , 42 km a pé! Para conseguir foi difícil, mas saí desse desafio mais magro, saudável e feliz, além de escrever mais um livro (A Maratona da Vida – Um manual de superação pessoal). Além de me pedirem “o segredo”, outra coisa que está se tornando comum é me pedirem os dez mandamentos para passar em concursos. Ai, ai, ai, isso não existe! Da última vez que me perguntaram eu resumi em um mandamento: leia meu livro (Como Passar) e siga seus conselhos. Querer mais que isso seria procurar “segredos”, “mágicas” e “milagres”. Disse para quem me perguntava, uma jornalista, que um dos grandes problemas da nossa cultura, do brasileiro, é o imediatismo e achar que as coisas vêm de graça. Dizem que é porque nos acostumamos à fartura de peixe e de água do coco, à prodigalidade de nossa terra etc, e não nos acostumamos a trabalhar. Não sei a razão, mas sei o fato: o brasileiro às vezes não se esforça, dá o “jeitinho”, “leva vantagem em tudo” e, claro, “até muda de cerveja”. Esse tipo de brasileiro vive à procura de uma solução rápida, simples (que dificilmente aparece). Até na política, tem muita gente procurando um “salvador da pátria”. Salvador que eu conheça, meus amigos, só Jesus. O resto é promessa. Se você está agindo assim, camarada, mude, pois quem age assim não passa em concurso. Há, felizmente, um outro tipo de brasileiro: “gente que faz”, gente que se esforça, que supera barreiras, que dá a volta por cima. Esse é o time que vence, a fonte de aprovados. E para você entrar nesse grupo é uma questão de vontade. Não depende de raça, cor, origem social, orientação sexual, religião, história familiar, não depende de nada senão da decisão de melhorar de vida, de pagar o preço para o amanhã ser melhor. Depende apenas de escolher qual semente você joga na terra. E ir semear, semeando de manhã e de tarde, sempre. A colheita vem, eu asseguro. Você colhe o que planta e, mais que isso, você colhe na medida em que semeia: quem planta muito, colhe muito; quem planta pouco, colhe pouco. Quem planta vento colhe tempestade, quem planta estudo e dedicação colhe sucesso, emprego, segurança e remuneração. Você é o semeador de sua vida, presente e futura. Claro que acho interessante a ideia de “dez mandamentos”. É legal, sim, mas quem achar que a coisa é tão simples está mal informado, e minha função de professor e a função desse veículo de comunicação que você está lendo é exatamente orientá-lo para que você realize seus sonhos. “Só” os dez mandamentos não vão lhe dar o seu cargo. É preciso mais do que isso. Feitas essas observações, curvo-me mais uma vez e apresento o segredo para passar em concursos e uma lista de dez mandamentos. O segredo é esse: juntar firmeza e adaptação. Seja firme em seus propósitos e sonhos, em seu caráter… e adapte-se, aprenda, evolua. Eis o segredo, já que você quer um. Quanto aos dez mandamentos para passar, alerto que eles servem para ter sucesso não só em concursos, mas em qualquer área da vida. São eles:

  1. Abandone os pensamentos negativos e fique bem com você. Visualize os seus sonhos.
  2. Saiba que você pode melhorar sua vida: saúde, emprego, relacionamentos… Basta querer e ter força de vontade para transformar objetivos em realidade. Planeje-se e aja.
  3. Conquista requer trabalho. Abra mão de alguns prazeres agora para ter outros melhores no futuro. Pense: se você fizer o que sempre fez vai ter os mesmos resultados que sempre teve. Trabalhe duro pelo seu sucesso.
  4. Minimize os problemas com sabedoria. Um exemplo simples: cortar um pão com uma faca cega demora cinco minutos, com uma faca afiada apenas um. Se você quer passar em concurso, adquira conhecimento e treino. Estude e faça exercícios.
  5. Exercite seu cérebro e sua memória. Eles são instrumentos poderosíssimos.
  6. Administre o tempo. Esteja por inteiro no que faz. Divida suas atividades em duas categorias: as que podem esperar e as que não podem. O concursando de sucesso é o que estuda muito, estuda bem, mas também separa algum tempo para a saúde, família e lazer.
  7. Equilibre-se. As pessoas se preocupam cada vez mais em consumir, ter bens materiais e cada vez menos com o seu próprio corpo e mente. Questiona-se: Você tem equilíbrio emocional? Sente-se bem com o seu corpo? O primeiro ambiente favorável para as conquistas é o de um corpo e uma mente equilibrados.
  8. “Quem com porcos anda, farelo come”; quem quer melhorar de vida tem que se juntar com pessoas que querem melhorar de vida. Esse é um jeito de investir no que você quer ser. Escolha bem suas companhias.
  9. A diferença entre o sonho e a realidade é a quantidade certa de tempo e trabalho. Aprenda a trabalhar e a ter paciência para colher os resultados.
  10. Não existe conflito entre a intelectualidade e sucesso e a relação com Deus. Minha experiência me mostrou que Ele existe e quer se comunicar conosco. Constatei que as pessoas que têm sucesso são as que conseguiram chegar a um bom relacionamento com a divindade. Deixe Deus ajudar você.

Se você reparar, o título desse artigo é o chamativo “segredo para passar”, fiz o resumo que me pediram do “livro grande”, lancei um livro sobre  a “arte da guerra para concursos” e, hoje, redigi um “segredo” e os “dez mandamentos”. Estou me adaptando. Mantive minhas ideias mas tive humildade e me esforcei para alcançar o que desejo: me comunicar com o meu semelhante. Adaptei-me para passar nos concursos, para correr e emagrecer e correr a maratona, me adaptei hoje, aqui. Adaptei-me e continuo me adaptando. Isso faz parte do grande ciclo da vida. Não me adaptei e nem vou me adaptar a um monte de coisas: fome, corrupção, materialismo etc. Em alguns pontos, serei sempre o mesmo, terei firmeza. Mas adaptar-se a estudar, a se organizar, a administrar o tempo e a vida, a estudar o que é preciso, a fazer simulados e as provas, a aprender como lidar com tudo isso… isso é uma adaptação importante, honrosa e necessária para você ter sucesso. Faça-a.

Ou, como diria uma famosa marca de calçados: Just do it.