Minha Filha, Meus Filhos

por William Douglas

Olham a foto silfídica, élfica e nórdica de minha brasileira e apimentada filha e exclamam:

– Ela vai dar muito trabalho!

Sempre respondo:

– Vai não, nem um pouco! Minha filha só vai me dar alegrias. E ao mundo.

Todo o trabalho que deu, que envolveu desde fraldas a mamadeiras, de noites insones a idas ao médico, que passa pelo trabalho árduo para pagar a escola, plano de saúde e seus caprichos, e ainda vai dar mais… Tudo isso não passa de um nada:  faço tudo com gosto extremo.

É minha filha, é meu míssil para explodir de melhorias e novos dias os cotidianos em que não mais estarei por aqui. Ela é  minha herança para o planeta, ela e os meninos. Eles são meus melhores livros. Livros vivos, livros que se escrevem por si mesmos. São projetos divinos, e divinos seres. São minhas versões melhor editadas e também autônomas, são e serão melhores do que eu em tudo. Irão me superar especialmente em paz e felicidade, e isso será meu melhor legado.

Minha filha não vai dar trabalho. Ela só vai me dar alegrias.

Ela entorna em torno o azul, o branco e o dourado, suas cores mais naturais, mas também é inteligente, alma boa, divertida, boa menina.

Sim, tem um temperamento áspero, e como todo bom potro precisa de alguns cabrestos, mas não maiores do que os cabrestos de que eu mesmo precisei. Minha filha só vai dar alegrias, a mim e ao mundo.

Há, é certo, de esmerilhar, embritar e moer corações apaixonados, mas estes rapazes não passarão  agruras maiores do que passou e passa o meu rico coração idoso e enquatreado.  Eles que façam por merecer e queiram a sorte grande. O que posso fazer é dizer, como digo: você é uma princesa, só admita quem te trate como tal. E como tal se comporte. Seja nobre, seja boa.

Se errar, que saiba: espero que não, mas se ocorrer, é e será minha filha em qualquer cenário, e sempre conte comigo. Posso até não concordar, mas será minha filha; ou me entristecer aqui ou ali, mas será minha filha. E me dará tantas alegrias que qualquer senão será apenas um chiste, um átimo, um nano.

Seja você, minha filha, é o que digo a ela,  mas alerto: nunca se acomode em ser pequena, filha. Torne-se maior. Não venha me dizer que todo mundo erra. Almeje a perfeição, almeje a lua, e terás as estrelas.

Minha filha só vai me dar alegrias.

Tem bom coração, quer ir para a África em busca de ajudar necessitados, assim como já o faz nas idas comigo à Educafro. Um dia estaremos juntos em Moçambique, ou noutro canto, fazendo o bem.

Igualmente, estaremos nas melhores passarelas, restaurantes e tudo o mais. Merecemos o melhor do mundo. O melhor dessa terra. E vamos aproveitar o dia.

Minha filha não vai me dar trabalho, nem a ninguém. Ela só trará alegrias.

Não que não possa errar, porque é humana. Ela tem o direito de falhar, temer, ser pequena, às vezes até mesquinha ou grosseira. Mas como tem o direito de ser pequena, e como o mundo é justo, o mesmo espectro lhe dá também o direito de ser grande, de acertar, de ser corajosa, de ser generosa e gentil.
E sempre aposto que minha filha e todos os filhos do mundo hão de escolher ser grandes, e não pequenos. E se forem pequenos, podem mudar, crescer, pedir desculpas e tentar de novo. Seremos grandes cedo ou tarde, esse é nosso destino.

Eu creio em um Deus que dá novas chances, recomeços, redenções. E minha filha crê no mesmo Deus, e isso me conforta. Ela só vai me dar alegrias.

Meus filhos são meu melhor projeto, meu ponto forte, minha melhor herança. Não darão trabalho, só alegrias. Serão meus filhos sempre, e os reverei cedo ou tarde nos lençóis da eternidade.

Sei, portanto, que minha filha, e filhos, serão eternamente lindos.


William Douglas, 4ª feira, 13/01/2016, 23: 56h