Igrejas e impostos

Atribuído a Rawlinson Rangel

A Folha de São Paulo de  (08/08/16), diz em sua  manchete:

Isenção de IPTU a templos custa 22 creches por ano em São Paulo

Resposta na visão de um irmão evangélico:

Gostaria de sugerir à Folha que deveria informar também que a lei isenta além de igrejas, os partidos políticos, clube de futebol, federações de esportes, sindicatos e partidos políticos. Por que ela aborda somente a igreja?

Além do mais, também sugiro que a Folha, ou a alguém do ramo jornalístico, que fizesse uma pesquisa sobre quanto as igrejas que ocupam esses templos investem na recuperação de dependentes químicos, na solução de conflitos familiares, na construção de escolas e educação de crianças, jovens e adultos, na formação profissional e semi profissional de jovens, na atenção ao pobre e morador de rua.

Que se contabilizasse o valor monetário de quantos jovens são retirados das drogas, do tráfico e da marginalidade e meninas da prostituição. Quanto de HIV e DSTs deixou de contaminar e matar a população.

Que se contabilizasse quantos acidentes de trânsito não aconteceram porque os “crentes” não bebem, quantos pulmões podres o SUS deixou de tratar porque os “crentes” não fumam.

Que se contabilizasse todo o valor investido nas pastorais da criança em cada cidade.

No final das contas, o Município chegará à conclusão que deveria nos devolver milhões, por estarmos cumprindo a sua responsabilidade constitucional.