Educação

Jornal da USP Especial – 23.06.2016 – Inclusão Social na USP

24 de junho de 2016 0 Comments

O Jornal da USP publicou um caderno especial sobre ações afirmativas. Entre os artigos, um de minha autoria. Quem quiser olhar, recomendo ver todo o material. Lendo meu artigo, agradeço seu feedback.

Inclusão na USP

[Continue Lendo]

A Importância do Ornitorrinco para o Poder Judiciário: Primeiras impressões sobre a Resolução nº 226/2016, do CNJ, o coaching e os juízes professores

21 de junho de 2016 6 Comments

 

William Douglas, juiz federal e professor

O CNJ editou a Resolução nº 226/2016, que alterou a Resolução nº 34/2007, para prever, no art. 5°-A, a proibição de magistrados exercerem as atividades de coaching e similares, que (segundo a Resolução) consistem na assessoria para progressão profissional, inclusive na disputa de concursos públicos.

A primeira impressão é de que se reveste de tentativa de evitar abusos e estou certo de que esta é a intenção precípua do CNJ. Contudo, equivoca-se por divorciar-se do real significado e alcance do conceito tratado e por entender que ajudar alguém a passar nos dificílimos concursos públicos é atividade sem mérito ou sem conteúdo de magistério. Outro equívoco é chamar uma atividade evidente de ensino, logo, de magistério, de “assessoria”.

Escrevo em primeiras linhas, apenas para trazer notícia imediata sobre o quanto equivocada, foi essa decisão. Ela, pelo seu grau de teratologia e irrazoabilidade que carrega, merece ser revista, a bem da ordem jurídica, do bom senso, e em especial, do respeito à Constituição Federal e aos professores e concursandos que prestigiam o serviço público e o Poder Judiciário com seus esforços. (mais…)

Blog da Casa do Concurseiro – 20.06.2016 – As maldades de sempre: a falácia da suspensão dos concursos

21 de junho de 2016 1 Comment

Blog A Casa do Concurseiro

[Continue Lendo]

Resposta a Leitores – Leia para ver se é o seu caso também

22 de março de 2016 7 Comments

Recebi mensagem de uma leitora, Rafaela, recentemente. Respondi a ela e copio para vocês toda a conversa.   Shalom William Douglas!! Tenho a curiosidade de saber.

Saiba mais

Dia dos Profesores

15 de outubro de 2015 0 Comments

At3XaPSoZpl-PFuvFmsN0No2ZfRZnVPs6RzM9VmdVcU2

Somos todos professores.

Em casa, os mais novos que nós aprendem conosco.

Na escola, os alunos aprendem conosco, mesmo que tenham as nossas idades.

No trabalho, se queremos ser bons, fazemos como os outros fazem.

Os vizinhos aprendem conosco lições de cidadania, civilidade e paternidade ou maternidade.

Ensinamos os outros a ganhar dinheiro e até a ganhar a vida.

Ensinamos os outros a conviver, que é a mais pesada das tarefas humanas.

Somos todos professores, pelo que precisamos decidir que tipo de professores seremos.

Dedicados ou relapsos? Profundos ou superficiais? Apaixonados ou displicentes?

Em nossa trajetória, tivemos professores assim dedicados, profundos e apaixonados. É para eles que devemos olhar.

Alguns deles eram chamados pelo título de “professor”, “professora” ou mesmo de “tio” ou “tia”, e diante deles nos assentamos ou por suas mãos nos deixamos levar. São benditos. Os caminhos que seguimos foram eles que nos apontaram.

Benditos sejam.

Se ensinar formalmente é o nosso ofício, com ou sem o título de “professor”, “professora”, agradeçamos a Deus pelo encargo e peçamos a ele sabedoria para fazer bem o que fazemos com alegria.

Se o nosso ensino é informal, peçamos a Deus que não nos deixe esquecer que temos alunos invisíveis, professores invisíveis que somos.

Peçamos a Deus sabedoria para viver de modo que possa ser imitado. Se somos íntegros, seremos seguidos. Se somos dúbios, serviremos de modelos. É grande o peso da vida.

Já que imitamos e somos imitados, busquemos deixar um legado que estimule a solidariedade e a sabedoria, esses dons que buscamos para nós mesmos.

Peçamos a Deus que nos capacite para sermos mestes a serviço do bem, especialmente quando nos chamam de professores.

por Israel Belo de Azevedo