Casa em Construção

por William Douglas

Meu apartamento está em obras. Desarranjo, bagunça, trabalho, cansaço, aborrecimentos, despesas, prazos vencidos… mas estou feliz. Em breve estarei mudando e isto não aconteceria sem os anos e anos de estudo para concursos, que me proporcionaram trabalho e a capacidade de, ainda que com parcelas a pagar, realizar o sonho da casa própria.

No momento, há poeira em excesso, mas a casa está em construção. E isto me lembra que, durante os anos em que permaneci sentado, diante dos livros e nas salas de aula dos cursinhos, a casa também estava sendo construída. Assim como a sua, agora.

Para o apartamento de hoje ter vindo à lume, vejo uma influência considerável da minha primeira reprovação, no concurso público para o Colégio Naval, quando contava com treze anos de idade. Àquele “não” somaram-se vários outros: fui reprovado em concursos para Oficial de Justiça, Juiz Estadual (duas vezes), Defensor e Promotor. Apenas a ajuda de Deus, a insistência nos concursos e uma obcecada busca pela correção das falhas fizeram-me chegar à fase dos “sim”: depois de alguma maturação, fui aprovado para Juiz Federal, Juiz Estadual, Defensor, Analista do Judiciário – TRF da 2ª Região e Professor da UFF. Vieram os anos como fiscal, depois como examinador, professor, escritor etc.

Foram novas casas que eu quis construir. E, em todos os projetos, houve dias em que pensei que não valia a pena cheirar a poeira nem carregar os tijolos. Talvez você esteja sentindo cansaço e desânimo; talvez esteja achando que há poeira demais em sua vida atual, paredes caindo, despesas extras etc. Ok… Bem-vindo ao clube!

Amigo, veja bem: você está construindo uma casa! É óbvio que tem de haver alguma bagunça, bastante trabalho a maior. Construção é assim mesmo.

Escrevo para registrar que, quando estava nessa fase, a de aprender a passar em concursos (o que envolve vários momentos e aprendizados distintos), eu também sentia aquela incerteza, aquela angústia, preocupações com o que virá a ser. Contudo, foi essa construção trabalhosa e demorada que me abriu as portas do serviço público, o qual, depois de algum tempo, permitiu-me a aquisição da moradia e, agora, a sua reforma. Uma construção abre espaço para construções futuras.

Você, hoje, está construindo uma casa maior para você e sua família. Não uma casa de alvenaria ou madeira, mas uma casa de espaço pessoal, trabalho, segurança, status, remuneração etc. E, sobre esta casa, após o preço certo de esforço e dedicação, tenho certeza de que o amigo poderá, caso queira, construir outras residências.

Não sei quais são seus sonhos futuros: outros concursos, atividades outras, como música, “curtir” a família ou, conforme aconteceu comigo, resolver correr uma maratona. Só sei que, se você agüentar firme, em breve esta casa (o concurso atual) estará construída e, depois, outras casas virão. Virão, caso queira, pois conheço amigos que, passando em algum concurso, passaram a viver satisfeitos, desfrutando do cargo e de suas justas retribuições. As escolhas são sempre pessoais.

Meu voto é de que você se saia bem na casa atual: preparar-se adequadamente para obter sucesso nas provas. Este sonho vai se realizar como fruto do próprio sonho, somado à capacidade de aprender a aprender, a fazer as provas, a corrigir as falhas, a estudar o tempo necessário para que toda a matéria decante-se em sua mente e que você desenvolva a capacidade de transmitir este conhecimento na hora do concurso. Pode parecer muita coisa… e é, mas dá para ser feito. Passar em concurso não exige nenhuma habilidade extra sensorial ou miraculosa: é só resultado de trabalho e maturação.

Portanto, amigo, quando estiver enfrentando o cheiro de poeira, receba minhas congratulações. Você estará sendo o engenheiro de um futuro mais promissor e luminoso.