A aplicação do pensamento positivo, da lei da atração e da ajuda divina para ser aprovado em concursos

por William Douglas

 

Ainda nos tempos do Orkut recebi um e-mail que me motivou a abordar os assuntos que deram título a este artigo. Transcrevo-o a seguir:

 

“William Douglas:

Olá Dr. que bom que te encontrei aqui no Orkut! Estou no meu 1º ano de cursinho (xxx) em (xxx)… estou gostando muito da didática e principalmente da organização dos professores. Assisti a sua palestra logo na primeira aula do curso carreira fiscal e acabei comprando o livro; simplesmente fantástico!

Parabéns!

Fiquei muito pensativa qdo vc disse q mesmo q não seguíssemos religião alguma, seria interessante crer em alguma coisa… isso pessoalmente está me incomodando. Agora q consegui me organizar nos estudos e no trabalho, tem dias q sinto um grande vazio. Será q é pq n creio em nada?? A única certeza q tenho é pensamentos positivos, geram resultados positivos. Estou no caminho certo?!

Uma ótima semana e espero q o Sr. me add. ,

“A”

 

Ao qual respondi:

 

“A”,

Obrigado pelo elogio. Você é gentil.

Que bom que esta gostando do curso e indo em direção aos seus sonhos. Guarde isso, continue assim. Não se impressione pelo fato de ser seu primeiro ano. O tempo é só um serviçal do futuro, que se avizinha com mais rapidez do que podemos perceber. O tempo fará sua parte, faça você a sua… e, em breve, estaremos comemorando sua aprovação. As dores da preparação e do amadurecimento são temporárias, mas o cargo e a sabedoria são para sempre. Vou começar a lhe responder de trás para frente.

 

Crer

Você me disse que não crê em nada. Não diga isso. E não diga que você não crê em nada. Alguém que trabalha e estuda crê pelo menos em duas coisas: em si mesmo e no futuro.

 

O poder do pensamento positivo e da lei da atração

Continuando, vou lamentar, mas discordo um pouco do que você disse: não acho que pensamentos positivos geram resultados positivos. Creio que pensamentos positivos somados aos comportamentos positivos geram, ao longo do tempo, resultados positivos. É parecido, mas não é a mesma coisa. Sucesso e resultados demandam trabalho e o decurso do tempo. Só pensamentos não adianta. E você demonstra que não só está com pensamentos positivos, mas também com comportamentos compatíveis. Se tiver paciência e determinação, se tiver persistência, colherá aquilo que está plantando.

Já foram publicados vários livros sobre segredos e a lei da atração. Se você os ler poderá imaginar que basta o pensamento positivo. Mas não é bem assim. Nesse passo, vale a crítica de Ed Gungor (ob.cit.), de que o pensamento positivo não é a única força a gerar resultados, não respondendo sozinho pelos acontecimentos futuros. E, ainda na clara e profunda explicação que o autor dá, é preciso juntar aos desejos e pensamentos um grau adequado de ação, de valor e de responsabilidade pessoal e social.

Mas permita-me citar o que o próprio autor, Ed Gungor, disse: “Por que estudar para escola? Isso não é divertido. Apenas sinta coisas boas e imagine tirar uma série de “A” em suas provas. Por que malhar na academia? Isso, com certeza, é difícil. Dói. Por que não ficar o dia todo apenas comendo sanduíches de salame e tirando umas sonecas? Apenas cultive os “sentimentos” de estar em forma…”

Não que eu acredite que Byrne (Rhonda Byrne, autora do livro O segredo) e outros preguem tais atitudes; o problema é que nos livros não há avisos contra esses absurdos. Byrne escreve: “O mais importante é saber que é impossível sentir-se mal e ao mesmo tempo ter bons pensamentos. Quando você está se sentindo mal, você está na frequência que atrai mais coisas ruins. Quando se sente mal, é como se pedisse: ‘Traga-me mais circunstâncias que me farão sentir mal. Pode mandar’.” Ela continua: “Seus sentimentos negativos são um comunicado para o universo que poderia ser expresso assim: ‘Atenção! Mudar o pensamento agora. Registrando frequência negativa. Mudar a frequência. Contagem regressiva para manifestações. Atenção!’”

Sim, nossos pensamentos e sentimentos compõem a maior parte do que nós chamamos de “vida”, criando uma aura que atrai circunstâncias afins. Bons pensamentos e emoções atraem boas situações. Os maus atraem situações negativas. Deus nos deu a vida como presente; um bom presente. A vida não deve ser um constante trabalho pesado, uma luta. Precisamos evitar os maus pensamentos e sentimentos e abraçar os bons em seu lugar. Mas entenda que fixar-se somente nos “bons sentimentos” não é uma maneira eficiente de aplicar essas ideias.

Nossos pensamentos e sentimentos são refletidos em nossas vidas – eles criam as circunstâncias que nos cercam. (Muito Além do Segredo, Ed. Gungor, Editora Thomas Nelson Brasil, RJ, 2007, p. 49/50) E, adiante, prossegue: “Todavia, antes de nos aprofundarmos, deixe-me dizer algo importante. Como já vimos, ao contrário do que alegam os defensores do uso mais recente da lei da atração, pensamentos e sentimentos não são as únicas forças em jogo na sua vida. Se houver equilíbrio, a lei da atração funciona como a lei da semeadura e da colheita. Entretanto, há momentos em que essa relação direta é superada pela presença de outras forças. Por exemplo, cada fazendeiro se prepara para a época do plantio com a confiança na lei da semeadura e da colheita. E, na maioria dos casos, essa confiança será recompensada. No entanto, se houver uma seca, ou um
furacão, ou uma geada nesta temporada? As safras vão quebrar. Diante disso, o fazendeiro não concluiria que a lei da semeadura e da colheita não funciona mais; ele reconheceria que outras forças surgiram e a superaram.” (ob.cit, p. 53/54.)

Em resumo, tanto eu quanto o autor citado, cremos que o pensamento seja poderoso e que a lei da atração tenha utilidade, mas não são fatores isolados e não podem ser utilizados apenas para conseguir o sucesso, dinheiro e poder. O ideal é que estes vetores se equilibrem com outros e que a pessoa esteja atenta aos valores pessoais e sociais mais elevados.

Ainda dentro do tema “responsabilidade”, convido você a conhecer o projeto de Revolução que está no site e que só pode se sustentar com a ajuda de pessoas que, como você, em breve estarão no serviço público.

Agora, caminhemos adiante naquilo que você gentilmente me escreveu. Você mencionou minha observação de que, mesmo sem seguir uma religião específica, é bom crer em algo.

 

Definição de “religião”

Quando falo em religião, não me refiro à religião institucionalizada, que há muito perdeu sua essência. Religião vem de religare, religar. É o ato de religamento entre o homem e seu criador. A religião institucionalizada é vazia e tem trazido muitos problemas, e está assim porque pode haver religião sem instituição, mas uma instituição religiosa sem ligação direta com a divindade não funciona, pois vira apenas um ritual, talvez uma fuga, ou distração. Mas não responde aos anseios maiores da alma.

 

Crer em algo x religião

Vista da forma adequada, “religião” é algo bom. Nesse prisma, quando falo em seguir uma religião, ou crer em algo, expresso minha experiência pessoal, onde Deus me ajudou muito, muito mesmo, no processo de superação e vitória. A Bíblia foi uma companheira fiel e útil nesse período, tanto que, em algumas palestras presenteio meus ouvintes com um livro com ensinamentos bíblicos . Logo, para dizer como venci, devo – para ser honesto – dizer que não venci sozinho. Foi meu braço, mas Deus é quem deu força a ele.

99% das pessoas acreditam em Deus. Assim, sinto-me a vontade para sugerir que cada um aproveite esse “parceiro” não só porque há um sentimento bem geral de que Ele existe (ainda que a percepção da forma da divindade varie bastante), mas também porque funcionou para mim e, assim, tal citação tem um conteúdo testemunhal.

Crer em algo ajuda. Mas eu não gostaria de crer em algo que não existe só para me ajudar. Prefiro coisas concretas. Quase posso dizer que sou um cético, mas um cético que não quis negar uma realidade quando a encontrou. Acho que seguir uma religião tem utilidade sim, como você me perguntou.

Mas se você perguntar a mesma coisa para quem não crê, para um cético, um ateu, esta pessoa não verá sentido – e talvez até considere ruim – contar com algo que pode não existir.

Mas se você perguntar para mim, vou dizer que Deus existe, que é uma pessoa, que se interessa por você e por sua vida, pelo seu bem-estar, que interage e atua. E que é bom, um bom (e poderoso) amigo. Em seu lado justo e de bom pai, será um amigo que esperará você crescer e amadurecer, mas estará ao lado.

Eu tenho uma filha, certa vez a levei à praia. Estive ao seu lado quando começou a “enfrentar” as ondas, marolinhas, que batiam na areia. Estive todo o tempo ao seu lado, mas deixei que ela levasse uns tombos até aprender a se equilibrar sozinha. Por mais que me doesse vê-la “enrolada”, eu precisava deixá-la aprender a viver aquela experiência, e crescer. Um pai ruim a
protegeria tanto que a transformaria em um vegetal, em medrosa e dependente. Mas eu estava lá para dar cabo de qualquer onda maior do que ela pudesse aguentar. Eu a deixei ficar assustada, para enfrentar o medo e a onda, mas não a deixaria engolir água demais ou se afogar.

Em minha vida, percebo que Deus faz bem parecido. Só que Ele é mais forte e esperto do que eu. Já engoli uns bons bocados de água e já tomei vários “caixotes”, mas não tenho dúvidas que o Pai estava atento e presente, torcendo e cuidando para que eu aprendesse a me equilibrar. Afinal, é da natureza divina andar sobre as ondas.

Pois bem, creio que tanto no plano pessoal quanto em relação à Humanidade como um todo, Deus está presente e disponível, mas não intervém senão na medida do necessário ou do demandado pela pessoa. Ele tem seus planos gerais, que vai executar, mas respeita não só o livre arbítrio, as escolhas pessoais e o propósito de que os homens amadureçam, cresçam e vivam. Por isso menciono uma “parceria”, onde Deus faz uma parte e nós, a outra. Se Ele fizesse tudo não seríamos mais que vegetais, e se nos deixasse totalmente sozinhos, nossa solidão seria inimaginável. De alguma forma, Ele sempre está presente, como dizia Jesus, ao mencionar que Ele faz a chuva cair sobre bons e maus; e, paralelamente, Ele atua na medida em que queremos ou pedimos, sendo Jesus useiro e vezeiro em dizer “O que queres?”, “Quer me seguir?”.

Assim, posso afirmar que Deus está cuidando de você, mesmo quando você não percebe. Ao mesmo tempo, está ansioso por desenvolver uma relação de abundância e intimidade, uma amizade, uma parceria. Contudo, cavalheiro que é, não vai arrombar a porta. Mas está presente e disponível. E, sempre, esperará de você atitudes, crescimento e esforço.

 

Propostas práticas

Nesse sentido é que falo aos concursandos e a qualquer um que tenha um plano (correr uma maratona, montar uma empresa, fazer um doutorado, salvar um casamento etc.) para pedir ajuda a Deus, mas fazer sua parte, pois Deus é bondoso, libertário, justo e cuidadoso o suficiente para não nos negar o amadurecimento, o esforço pessoal e o crescimento. Se ele fizesse tudo isso seria pernicioso. Quer destruir alguém? Dê a esse alguém tudo o que deseja sem que tal pessoa precise fazer qualquer esforço, renúncia ou escolha.

Não sei se você conhece a história, mas o esforço da borboleta para sair do casulo é necessário para que ela tenha condições de voar. Mas não quero ser muito extenso. Nesse campo, recomendo o que funcionou para mim, pois já tive experiências muito concretas com a divindade.

Em suma, creia em alguma coisa. E saiba que, de qualquer modo que você lide com isso, ela existe. Nesse passo, a religião é positiva. Mas a religião que eu acredito como boa (independentemente do ramo escolhido) é aquela que ultrapassa os rituais e as formalidades, a culpa e os dogmas, e concentra-se numa relação pessoal com a divindade que se quer conhecer, seguir ou adorar. Creio que a religião se sustenta numa relação viva, íntima e consistente com Deus. Por isso, não satisfaz a religião oca, sem vida.

Por isso, ela precisa ser pessoal e se basear em experiências pessoais. Se você for discutir teorias, teologia, ceticismo etc. pode se confundir, mas quando sente a presença de Deus uma única vez, passa o resto da vida sabendo que Ele é real. A religião que tem graça é aquela onde há uma intimidade construída.

Portanto, sugiro-lhe que além da busca pelo cargo, pelo amor e por outras coisas, inclua uma busca pessoal por Deus. Deus, segundo a Bíblia, diz: “Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo vosso coração”; Jesus diz que “aquele que busca, encontra; aquele que pede, recebe”. Creio, portanto, que se você começar a buscar, irá encontrá-lo.

Como sou cristão, minha experiência com a divindade é bem específica e cito, bastante, Jesus e a Bíblia. Por isso, tire um desconto, pois os cristãos são meio sectários (com isso de “Só Jesus Salva”, coisa em que acredito, mas que mantenho no plano pessoal). Na minha expressão pessoal, creio que só Jesus salva e sustento isso com tranquilidade, mas na minha qualidade de professor, devo dizer que qualquer pessoa que busque a Deus (mesmo que não seja aquele em que eu pessoalmente creio) estará num bom caminho. E posso dizer isso com base na minha longa experiência (de mais de 30 anos ministrando aulas) e em tudo o que já estudei e pesquisei sobre educação, cérebro, mente etc. O mundo seria bem melhor se todas as pessoas seguissem cada qual o que sua religião prega. Só para citar as mais conhecidas, o cristianismo, o islamismo, o judaísmo, o budismo, o taoísmo etc., todos mandam ser honestos, não explorar os outros, tratar os outros com respeito, buscar a paz etc. Imagine se cada um deixasse de dizer que é o melhor e seguisse primeiro o que sua própria religião ensina? Fomes, guerras, injustiça, a exploração do homem pelo homem, tudo isso estaria com os dias contados. Conheço pessoas que se relacionam com Deus de modo admirável e que são boas pessoas dentro de outros ramos do cristianismo, no islamismo etc. E conheço cristãos que me fazem ter náuseas. Daí, não se fie nas pessoas que seguem, mas no Deus que é seguido e no que Ele ensina.

Em resumo, busque a Deus e Ele se revelará. Não há uma fórmula mágica nem um protocolo único. Deus vai falar com você de um jeito particular, singular e único. Eu levei anos perguntando até ouvir uma resposta, e conheço quem tenha recebido o mesmo na primeira vez que pediu. Hoje, Deus fala comigo quando leio a Bíblia, quando oro, quando o louvo na igreja, às vezes manda recados, às vezes fala no meu ouvido… e está sempre presente no sorriso da minha filha. Deus às vezes está no trovão, mas é mais corrente estar numa leve brisa, num sussurro.

 

O vazio

Mas ainda preciso abordar o seu “vazio”, ou, como disse “um grande vazio”.

Dostoievski dizia que o homem tem na sua alma um vazio do tamanho de Deus. Se for esse o vazio que você sente, preencha-o com a única coisa suficientemente grande para tal.

Mas seu “vazio” também pode decorrer de alguma pressa para ver os resultados, e aí o remédio é a paciência e a consciência de que você está em um processo de crescimento intelectual e emocional. Leva tempo mesmo, faz parte. Lembre-se: A diferença entre o sonho e a realidade é quantidade certa de tempo e trabalho.

Mas o “vazio” pode ter ainda uma outra causa: se os seus horários estiverem muito desequilibrados. Você tem separado o tempo necessário para viver, ser feliz (ainda que com a disciplina para estudar)?

Sua vida, qualidade de vida e administração do tempo inteligente e saudável demandam um tempo mínimo para dormir, ter lazer, conviver com as pessoas que ama, estar só, fazer exercícios físicos. Se você não respeitar isso pode aparecer vazio, depressão, fastio etc.

Alguns minutos consigo mesmo já bastam. Um silêncio, uma música, e só você. Aprenda a ser boa companhia… até para si mesma. Exercícios físicos três vezes por semana já são razoáveis quando falta tempo (nesse passo, veja o WDPTS). O tempo de sono, família, lazer, serviço ao próximo etc. vão depender de sua vida. De um modo geral, só você pode descobrir as doses mais indicadas de cada um desses elementos necessários para o cotidiano.

 

Conclusão

Você já está fazendo uma boa quantidade de coisas certas: não perca isso. E pode, se quiser, ir além, tanto no estudo quanto em outras dimensões. Espero que você aproveite a fantástica jornada da vida. Se quiser, Deus estará bem presente; se não quiser, Ele estará olhando para você carinhosamente, mesmo que à distância.

Continue juntando aos seus bons pensamentos, as boas atitudes e comportamentos. Se possível, melhore isso. Faça, aos poucos, aperfeiçoamentos e ajustes, que é o método que melhor funciona.

E cuide para ser feliz, desde agora, pois a vida tem mais graça quando vivida de modo pleno.

Atenciosamente,

William Douglas